Bonita, cinza e medieval (Edimburgo, Escócia)

  • 30/05/2016
  • comentários
  • Por: Guilherme Goss De Paula

Cheguei a Edimburgo em uma manhã cinzenta, vindo de Glasgow. Ao deixar o trem tive a árdua tarefa de subir ladeira acima para chegar ao Castle Rock Hostel, um albergue estrategicamente localizado na Cidade Velha (Old Town) ao lado do Castelo de Edimburgo, cujas camas são identificadas por nomes de artistas – eu dormi com a Madonna!

DSC08310_2

A cidade ainda estava acordando e eu já estava na ativa, caminhando pelas ruas de paralelepípedos, enquanto fotografava as vitrines que exibiam os kilts escoceses – que são as famosas saias masculinas. Pra mim era tudo novidade e eu estava curtindo!

DSC08200_2

Na Princes Street (principal rua da capital) topei um típico escocês, de kilt, tocando sua gaita de fole para garantir alguns trocados. Mais que um artista de rua comum, ele imprimia personalidade ao local e registrava sua trilha sonora dando as boas-vindas aos visitantes que por ali passavam.

DSC08233_2

Segui perambulando pelas ruas até chegar ao Calton Hill, uma colina no centro da cidade que possui uma interessante mistura de natureza e monumentos e da qual se tem vistas estonteantes da cidade.

Voltei à Cidade Velha para visitar o Castelo de Edimburgo que, localizado sobre um grande rochedo, é uma das maiores atrações do país. Depois segui para o Palace of Holyroodhouse, que abriga a rainha Elizabeth durante suas visitas e que é conhecido por ter hospedado Bloody Mary – a rainha Mary I, a Sanguinária, que recebeu este apelido pelas perseguições e execuções a protestantes.

DSC08235_2

Mais tarde, no albergue, conversei com meus novos amigos (dois chineses e dois americanos) e saí pra comer alguma coisa. Alguns minutos de caminhada e a garoa começou a cair. Antes que ficasse todo molhado, decidi encarar um restaurante mexicano, o “Mariachi” – sou adepto a comer sempre a comida local mas, nesse caso, abri uma exceção pois já era tarde e eu estava faminto! Após examinar atentamente o cardápio, escolhi um prato chamado “Tostada tower”, cuja descrição era bem atraente. Quando o prato chegou foi uma surpresa, o prato era superapresentável mas era muita comida. No topo havia queijo ralado, seguido por chili de carne, tortilha, sour cream, outra tortilha, guacamole, mais uma tortilha e frijoles, em volta de tudo isso, decorando o prato, ainda havia pepinos fatiados, mais queijo ralado e pimentões em tiras. Obviamente, o prato foi muito bem acompanhado por uma cerveja Sol mexicana com limão! Esse banquete custou cerca de £12 – preço alto para um mochileiro, mas ficou de bom tamanho por tudo que foi servido.

Após meu jantar mexicano, retornei ao albergue e fui dormir. O dia seguinte começaria bem cedo, pois eu havia agendado um tour pelas Highlands. Mas isso é assunto para o próximo post!


Este é o 16º post da série Mochilão na Europa I (28 países)

Leia o post anterior: De passagem por Glasgow (Escócia)

Leia o post seguinte: Tour pelas Highlands (Escócia)


Reserve sua hospedagem pelo Booking.com clicando aqui!!
Assim você ajuda a mantermos o blog, sem pagar nada a mais por isso :)

Guilherme Goss De Paula

Nascido em Tupã, no interior de São Paulo, sua primeira experiência internacional foi um intercâmbio na Alemanha - onde despertou seu interesse por conhecer o mundo. Trabalhou com turismo nos EUA, no Amazonas e em Santa Catarina. Graduou-se em Turismo e Hotelaria e abriu sua própria agência de viagens. Sempre em busca de novos destinos, acumula passagens por mais de 60 países. Como escritor-viajante, já participou de diversas edições dos guias O Viajante, além de ser colaborador voluntário dos sites TripAdvisor e Mochileiros.com. Sua melhor viagem é sempre a próxima!


3 respostas para “Bonita, cinza e medieval (Edimburgo, Escócia)”

  1. […] Leia o post anterior: Bonita, cinza e medieval (Edimburgo, Escócia) […]

  2. […] Leia o post seguinte: Bonita, cinza e medieval (Edimburgo, Escócia) […]

  3. […] Post #16: Bonita, cinza e medieval (Edimburgo, Escócia) […]

Deixe uma resposta

Inline
Inline