HEADER SITE - VIAJANTE INVETERADO
Menu

Passeando a pé por Copenhague

  • 8/01/2017
  • comentários
  • Por: Guilherme Goss De Paula

DSC02968

O tempo estava voando e a viagem chegando ao fim. Parti de trem de Berlim, fiz uma conexão rápida em Hamburgo e segui para a capital dinamarquesa. Durante o trajeto, o trem se dividiu e entrou no ferry para percorrer parte do percurso – coisas que não vemos pelo nosso país, infelizmente.

A uma semana de voltar pra casa, a emoção de conhecer novos lugares já se confundia e dava lugar à emoção de estar chegando ao fim da minha missão – que significava concluir o mochilão por 28 países e voltar pra casa para reencontrar a minha família.

Chegando em Copenhague, desembarquei do trem e comecei a peregrinação à procura do albergue. As informações que tinha anotado não batiam e custei a encontrá-lo. Ao fazer o check-in no Dan Hostel Downtown, fui informado que eles não haviam recebido a minha reserva do site onde eu a havia feito. Problemas à vista? Não, muito pelo contrário! Acabaram por me encaixar em um quarto privativo pelo preço do dormitório compartilhado que eu havia solicitado. Mesmo que tenha sido apenas para a primeira noite, foi ótimo!

Saí pra rua, saquei Dkk 200 (equivalentes a uns € 27) e fui comprar algumas coisinhas para comer em uma loja de conveniência 7 Eleven. E foi lá que me dei conta de como são caras as coisas na Escandinávia. Paguei Dkk 65 por uma coca, um sanduíche simples e dois snickers. Como já era tarde, resolvi voltar para o albergue para comer e descansar.

Na manhã seguinte, tomei café (lá se foram mais Dkk 65), desocupei meu quarto privativo e fui cumprir meu roteiro com uma mapa que peguei na recepção. A primeira parada foi no Tivoli, um famoso parque de diversões que teve suas atividades iniciadas no ano 1843, o que lhe assegura ser um dos mais antigos do mundo. Em um dos lados do parque, basta atravessar a rua para encontrar Ny Carlsberg Glyptotek, um museu de esculturas que tem como destaque obras de Rodin, Degas e pinturas de Cèzanne, Gauguin e Vincent Van Gogh. O museu nasceu a partir do acervo do dono da cervejaria dinamarquesa Carlsberg, chamado Carl Jacobsen.

DSC02829

DSC02827

Virando a esquina, fica a Rådhuspladsen (Praça da Prefeitura), onde estava ocorrendo um campeonato de futebol – dava dó da bola! A Rådhus (Prefeitura) é um prédio inconfundível, construído com tijolos avermelhados e que possui, no alto de sua torre, o Jean Olsen’s World Clock – um relógio que precisou de “apenas” 27 anos para ser acertado.

DSC02971

DSC02840

DSC02970
Próximo dali, na ilha Slotsholmen, fica o Christiansborg Palace, sede dos três poderes – aliás é dito que este é o único prédio do mundo que abriga, simultaneamente, os poderes executivo, legislativo e judiciário.

Continuei caminhando e cheguei na Strøget que começa na Prefeitura e termina no porto Nyhavn (falarei sobre ele mais pra frente) – e dizem ser o maior calçadão do mundo. Falando em recordes, é nessa rua de pedestres que fica o Guinness World Records Museum, baseado no famoso livro dos recordes.

DSC02983

DSC02855

Na extremidade da Strøget, como disse antes, fica o Nyhavn (Novo Porto), um dos cartões postais da cidade, repleto de casinhas típicas e coloridas que, transformadas em bons restaurantes, atraem muita gente.

DSC02860

DSC02869

DSC02867

DSC02866

DSC02871

No passado, quem já habitou essas charmosas casinhas coloridas (mais precisamente, as de número 18, 20 e 67) foi Hans Christian Andersen, célebre escritos dinamarquês. Você pode até não conhecê-lo pelo nome mas, com certeza, conhece O Patinho Feio, O Soldadinho de Chumbo e A Pequena Sereia.

Ali perto fica a residência da família real, o Amalienborg Slot, um complexo de quatro palácios ao redor de uma grande praça central, que abriga a estátua equestre de Frederik V (rei da Dinamarca e da Noruega no século 18). Me programei para chegar lá pouco antes das 12h para poder assistir à troca da guarda. Ao leste do complexo e de frente para o canal fica o Amaliehaven, o jardim do palácio.

DSC02882

DSC02887

DSC02891

Do lado oposto, seguindo a rua Frederiksgade, está localizada a Frederiks Kirke – também conhecida como Marmorkirken (Igreja de Mármore) –, com seu domo de 31 metros de diâmetro. A poucos metros, fica a igreja ortodoxa russa Alexander Nevsky que chama a atenção para o brilho de suas três cúpulas douradas.

DSC02901

DSC02903

DSC02913

Como eu estava procurando a famosa estátua da Pequena Sereia, continuei caminhando pela rua Amaliegade no sentido norte. Pelo caminho, encontrei o Churchillparken onde está localizada a igreja anglicana Sankt Albans Kirke, pequena, mas muito interessante. Construída em estilo neogótico, possui apenas uma torre estreita e pontiaguda.

DSC02921

DSC02924

Saindo da igreja, no mesmo parque, deparei-me com a Gefionspringvandet (Fonte Gefion), cuja história é muito interessante e remete à origem da Zelândia (ilha dinamarquesa onde fica Copenhague). Conta-se, segundo a lenda, que o rei sueco Gylfi prometeu a Gefion (ou Gefjun, uma deusa da mitologia nórdica) que lhe daria todas as terras que ela fosse capaz de lavrar em uma noite e um dia. Os quatro bois da fonte seriam os filhos da própria Gefion, e ela os teria transformado em animais para que pudesse realizar o trabalho. As terras lavradas teriam se desprendido do continente, formando, inclusive, o lago Vänern, na Suécia – onde Gefion teria desaparecido.

DSC02926

DSC02927

Finalmente, eu dava meus últimos passos na direção da famosa, e pequena, sereia. Sendo um dos símbolos do país, Den Lille Havfrue (A Pequena Sereia) pode decepcionar muitos desavisados, pois ela é, de fato, muito pequena. A criação de Andersen, entretanto, é orgulho dos dinamarqueses que comemoram até mesmo o seu aniversário, no dia 23 de agosto.

DSC02929

DSC02931

Ali do lado, cercado por um lago, fica o Kastellet (Cidadela), uma preservada fortaleza pentagonal, protegida por bastiões, que abriga atividades militares mas pode, em partes, ser visitada. Em outros tempos, a estrutura foi responsável pela proteção da cidade contra ingleses na Batalha de Copenhague (1807) e alemães durante o episódio conhecido como a Invasão Alemã (1940) – sem sucesso no último caso.

DSC02932

No caminho de volta, conheci a luterana Sankt Pauls Kirke (Igreja de São Paulo) antes de chegar ao Kongens Have (Jardim do Rei), um dos locais mais agradáveis da capital para passear sem se preocupar com o tempo ou para fazer um piquenique. Cercado pelos jardins, o Rosenborg Slot já foi residência da família real e hoje, aberto para visitações, exibe com destaque as Joias da Coroa Dinamarquesa.

DSC02935

DSC02934

DSC02941

DSC02943

DSC02952

DSC02947

DSC02946

Pertinho da Universidade de Copenhague, está localizada a catedral da cidade, a Vor Frue Kirke (Igreja de Nossa Senhora). Projetada em estilo neoclássico pelo arquiteto Christian Frederik Hansen, teve suas obras concluídas em 1829. Seu interior leve e de cores claras guarda esculturas dos 12 apóstolos.

O inevitável em Copenhague é ficar muito tempo longe da Strøget – o calçadão. Como magnetismo, ela parece atrair a todos, principalmente os mais dispostos a comprar e comer. Este último era o meu caso, eu estava com fome e o problema era encontrar um local barato. Sim, é verdade que na Escandinávia tudo é mais caro, então resolvi me entregar, sem culpa, ao velho e bom fast-food. Depois do lanche voltei ao albergue para descansar um pouco e refazer o check-in para o dormitório compartilhado.

A próxima atração da lista era a polêmica Christiania. Foi uma longa caminhada até chegar no reduto hippie. Em 1971, a área foi utilizada como um acampamento e foi evoluindo até chegar no que é hoje: uma comunidade autossustentável, desprovida de hierarquia, que dita suas próprias regras (que podem ser contadas nos dedos) e que não dá muita bola para o que se passa do lado de fora. O uso e comércio de drogas consideradas leves (maconha e derivações) é comum na Pusher Street (também chamada de Green Light District). O histórico da “Cidade Livre” com as autoridades é turbulento, proibições e intervenções já foram feitas mas, ao que parece, Christiania já conquistou seu lugar. Não é o local mais agradável de se ver (é sujo e feio), mas deve ser visto.

DSC02962

DSC02963

DSC02966

Encarei mais uma longa caminhada até a estação de trem para me certificar sobre os horários de trem para Oslo (Noruega) e tomei uma Carlsberg em frente ao albergue para encerrar o dia. Na manhã seguinte, levantei cedo para partir. O céu azul, sem nuvens, era a promessa de um bom dia.


Este é o 49º post da série Mochilão na Europa I (28 países)

Leia o post anterior: Berlim: a cidade de todos os adjetivos

Leia o próximo post: Oslo: a capital viking


Veja a galeria!


Evite filas!!
Compre antecipadamente seus ingressos e passeios para Copenhague


Acesse o índice com todos os posts dessa série!


↓ Salve esse Pin e siga também nosso Pinterest!


Para a sua viagem

Reserve seu hotel pelo Booking.com
Alugue seu carro pela Rentcars
Compre seu chip internacional Mysimtravel
Viaje sempre protegido com Intermac Seguros
Evite filas comprando antecipadamente seus ingressos e passeios pelo Viator
Prefere uma ajuda profissional para sua viagem? Entre em contato com a Reisen Turismo

Ao utilizar esses links, você ajuda o blog a crescer sem pagar nada a mais por isso!


Hoje é o niver da Micca!! 💘🎂🥂🎉🎈🎁 Amor, hoje é seu aniversário e estamos em plena quarentena.
Não deu pra comemorar com os amigos e familiares, mas a vídeochamada está ajudando. Não deu pra jantar fora, mas o delivery resolveu.

A quarentena tem mostrado que o mais importante é estarmos juntos, sempre. E, com a gente, foi assim desde o começo, né?
Espero que a nossa quarentena, essa, só minha e sua, dure pela vida inteira!
Parabéns pelo seu aniversário!!! Que o Papai do Céu te dê muita saúde e paz!! Te amo!! Ah, mais uma coisa...
Tem uma musiquinha que roubei do Jack Johnson pra vc!

There is no combination of words I could put on the back of a postcard
No song that I could sing, but I can try for your heart
Our dreams, and they are made out of real things
Like a shoebox of photographs
With sepia-toned loving
Love is the answer, at least for most of the questions in my heart
Like why are we here? And where do we go?
And how come it's so hard?
It's not always easy and
Sometimes life can be deceiving
I'll tell you one thing, it's always better when we're together

It's always better when we're together
Yeah, we'll look at the stars when we're together
Well, it's always better when we're together
Yeah, it's always better when we're together

And all of these moments
Just might find their way into my dreams tonight
But I know that they'll be gone
When the morning light sings
And brings new things
For tomorrow night you see
That they'll be gone too
Too many things I have to do
But if all of these dreams might find their way
Into my day to day scene
I'd be under the impression
I was somewhere in between
With only two
Just me and you
Not so many things we got to do
Or places we got to be
We'll sit beneath the mango tree now

I believe in memories
They look so, so pretty when I sleep
Hey now, and when I wake up,
You look so pretty sleeping next to me
But there is not enough time,
And there is no, no song I could sing
And there is no combination of words I could say
But I will still tell you one thing
We're better together

#viajanteinveterado #jackjohnson #balneariocamboriu
...

279 23

Hoje vivemos mais uma experiência incrível: voar de #balão! Eu (Gui) e a @laviniagoss subimos a 1.200m de altura, com toda segurança, nesse lindo balão da @voudebalao 🎈🎈🎈 A Micca prometeu que também vai voar na próxima vez!!
.
.
#voudebalao #balao #BALNEARIOCAMBORIU #euamobc #viajanteinveterado #canelinha #santacatarina
...

131 11

14/03 22h08

SORTEIO REALIZADO!! 👏🏻 Parabéns aos ganhadores: ⬇️⬇️⬇️⬇️⬇️⬇️⬇️⬇️
🍀 @eduardogilvane
🍀 @sabrinainfante

Entraremos em contato via direct!
.....................................
🏁 Foi dada a largada!! .
.
📳 02 SORTEIOS - Cada um valendo:
📱01 chip internacional @mysimtravel .
📲 01 pacote de 1GB para utilizar na Europa .
🎒01 mochila .
.
📌 Para concorrer basta você seguir as regrinhas:
👉🏻 1. Curtir a FOTO OFICIAL no perfil @viajanteinveterado;
👉🏻 2. Indicar 02 amigos nos comentários da FOTO OFICIAL;
👉🏻 Seguir os perfis @mysimtravel e @viajanteinveterado. .
.
✅ Comente quantas vezes quiser, indicando amigos diferentes. Quanto mais você comentar, mais chances terá de ganhar! .
❌ Não vale marcar perfis falsos, celebridades e empresas. O prêmio não pode ser trocado por dinheiro.
. 📅 Sorteio adiado para o dia 14/03/2020 serão realizados 02 sorteios AO VIVO no Instagram @viajanteinveterado.
O seu perfil deverá estar aberto para verificarmos o cumprimento das regras.
Cada participante poderá ser premiado apenas uma vez. Caso o ganhador dos 02 sorteios seja o mesmo, repetiremos o segundo sorteio. .
.
⚠️ Viajar e não compartilhar, não tem graça! Pra quem ainda não conhece, o @mysimtravel é o chip internacional que levamos em TODAS as nossas viagens internacionais, desde 2016!! .
.
🍀BOA SORTE!🍀
.
.
.
.
#mysimtravel
#chipinternacional
#viajanteinveterado
#sorteio #sorteios
#sorteiorolando
...

66 58

Hoje o dia foi dela, como tinha que ser!! 6 aninhos da minha princesa linda!! Uma pessoinha que me ensina todos os dias a ser mais calmo, mais puro, mais solidário, mais humano, mais carinhoso, mais amoroso, enfim... a ser uma pessoa melhor. Obrigado, meu amorzinho, por ter vindo para a nossa família e, desde tão pequenininha, nos ensinar tantas coisas. Você é um ser especial, iluminado, um presente de Deus!! Eu te amo de um jeito inexplicável e espero conseguir demonstrar isso a você todos os dias!!
Parabéns, Lala!! Que o papai do céu te dê muita saúde e paz para que você continue espalhando amor pelo mundo!! Beijinhos do papai!! TE AMO!! 😘😘😘
...

171 19

Ficou demais essa foto que tiramos hoje no @oceanicaquarium, né?
🐢
A visita foi incrível! Conhecemos vários animais e aprendemos muito sobre eles!! Aliás, muitos desses animais foram recuperados de cativeiros e do tráfico.
🐠
#oceanicaquarium
#balneariocamboriu
#santacatarina
#brasil
#viajanteinveterado
...

146 12

#TBT de um dia incrível no @snowlandgramado 🌨
☃️
#gramado
#snowland
#riograndedosul
#viajanteinveterado
...

117 9



Booking.com





Guilherme Goss De Paula

Nascido em Tupã, no interior de São Paulo, sua primeira experiência internacional foi um intercâmbio na Alemanha - onde despertou seu interesse por conhecer o mundo. Trabalhou com turismo nos EUA, no Amazonas e em Santa Catarina. Graduou-se em Turismo e Hotelaria e abriu sua própria agência de viagens. Sempre em busca de novos destinos, acumula passagens por mais de 60 países. Como escritor-viajante, já participou de diversas edições dos guias O Viajante, além de ser colaborador voluntário dos sites TripAdvisor e Mochileiros.com. Sua melhor viagem é sempre a próxima!


2 respostas para “Passeando a pé por Copenhague”

  1. […] Leia o post anterior: Passeando a pé por Copenhague […]

  2. […] Leia o post seguinte: Passeando a pé por Copenhague […]

Deixe uma resposta

Viajante Inveterado 2018 © Todos os Direitos Reservados

Feito com ❤ por Brothers Filmes